Como aumentar sua produtividade nos estudos e melhorar seu rendimento

Eu falo muito aqui no blog sobre ter uma vida produtiva como um todo, mas a maioria dos meus posts são voltados para produtividade e organização no trabalho, porque essa é a minha realidade. Minhas atividade diárias são predominantemente voltadas para o trabalho, apesar de estar cursando (quase concluindo) uma pós graduação, os estudos ocupam pouco tempo do meu dia, então é bem tranquilo gerenciar.

Mas eu sei que existem pessoas que acompanham aqui o blog que tem como principal ocupação os estudos, seja faculdade, cursinho pré-vestibular, preparação para concurso ou outras formas de estudo. Então, no post de hoje, é sobre isso que vamos falar: como melhorar a produtividade dos seus estudos.

Na verdade, qualquer das dicas anteriores que eu já falei aqui no blog pode ser adaptada para alavancar o seu rendimento nos estudos. Então, minha primeira dica é: dê uma olhada na imagem abaixo, que traz algumas dicas gerais de como melhorar sua produtividade em qualquer tipo de atividade.

dicas para melhorar sua produtividade nos estudos

Em segundo lugar, eu recomendo muito que você organize em sua casa um ambiente de estudos, um cantinho onde você possa se dedicar sem ser incomodado. Não precisa ter um cômodo só para isso, basta ter um lugar específico onde você tenha à disposição, reunido e organizado, tudo o que você precisa para estudar: livros, apostilas, papel, canetas, computador. Ter um ambiente de estudos ajuda também a desenvolver a mentalidade apropriada, porque quando você tem esse lugar específico para estudar, ao estar nele, seu cérebro entende que aquele momento é momento de estudar. Isso ajuda a se manter concentrado ao contrário do que acontece quando você estuda na cama ou esparramado no sofá.

Depois de escolher um lugar que será seu espaço de estudo, certifique-se de que o lugar está adequado à tarefa que você vai desenvolver. Por exemplo, escolha uma mesa e uma cadeira confortáveis, já que você vai passar longos períodos ali. Se a cadeira te der dor nas costas, as chances de você perder a concentração e motivação para estudar são grandes. Mantenha o ambiente bem iluminado e tão silencioso quanto possível. Tenha sempre à mão todo o seu material e mantenha-o organizado.

Vamos falar agora de alguns métodos de estudos, recomendados pelos mais diversos especialistas com o objetivo de aperfeiçoar a forma como você estuda, ajudando a entender melhor o conteúdo, fixar o conhecimento e tornar o processo de aprendizado mais eficiente.

Aqui, como em qualquer metodologia de produtividade, não existe o certo ou errado. Existe apenas aquilo que se adapta ou não a você. Você pode odiar um método e amar outro ou até mesclar dois deles. O objetivo é que funcione para você.

Ciclo de Estudos

É um método desenvolvido pelo Alexandre Meirelles, autor do livro “Como estudar para concursos”, além de palestrante e uma inspiração para muitos que buscam aprovação em concursos públicos. O Alexandre tem um site chamado Método de Estudo, onde ele oferece mentoria para concursos públicos, além de um blog com vários artigos interessante e material gratuito.

Lá no site tem toda a explicação detalhada de como funciona a metodologia do ciclo de estudos, desde o conceito até a parte prática. Vou explicar aqui de forma resumida qual a ideia desse método e se você quiser saber mais detalhes é só dar uma olhada no site que eu linkei ali em cima.

Basicamente, a proposta dessa metodologia é que você divida o que você precisa estudar em ciclos, ao invés do tradicional quadro de horários. Isso te traz mais flexibilidade (porque você estuda no seu tempo disponível e não fica preso a horário, o que facilita lidar com eventuais imprevistos) e rotatividade no estudos.

Para entender melhor como funciona, vamos pegar como era minha rotina de estudos alguns meses atrás: eu tinha duas disciplinas da pós e a monografia de conclusão de curso.

O primeiro passo é listar tudo o que você precisa estudar. No meu caso: disciplina 1, disciplina 2 e a monografia . Depois você define quanto tempo de estudo vai destinar para cada item. Eu fazia assim: uma hora para cada uma das disciplinas e duas horas para a monografia. Então, no total, o meu ciclo tinha quatro horas. O tempo que você vai estudar cada assunto é você quem escolhe, mas use o bom senso: só 30 minutos para cada uma é muito pouco, assim como ficar 3 horas em um mesmo tema pode prejudicar sua concentração, motivação e desempenho.

Definido o ciclo é só começar a estudar! Vamos dizer que eu me planejei para estudar essas quatro horas em uma segunda feira. E no começo deu tudo certo e consegui dedicar uma hora para cada disciplina como planejado, mas depois surgiu um imprevisto e eu só pude dedicar uma hora para a monografia, ao invés das duas planejadas. A diferença do método de ciclo para o quadro de horário é que no dia seguinte eu não começo tudo do início e sim de onde parei no dia anterior. Ou seja, quando for começar a estudar na terça (ou na quarta, não tem problema se durante a terça não pude estudar nada) vou terminar aquela uma hora de monografia que ficou faltando ao invés de começar da disciplina 1.

Bem simples, certo? Mas para mim fez um diferença e tanto. Eu gostaria de ter usado essa forma de estudos durante a faculdade, facilitaria muito meu dia. E a metodologia vale tanto para quem tem pouco tempo livre para estudar quanto para quem estuda em tempo integral para vestibular, concursos ou mesmo na escola.

Foto de rawpixel.com em Unsplash

Ciclo EARA

Essa metodologia foi criada pelo escritor, palestrante, servidor público e professor Fernando Mesquita. Ele é autor dos livros “Ciclo EARA” e “Sucesso em concursos de A à Z”. Em seu blog, ele apresenta muito conteúdo com dicas de estudos, oferece cursos, além de uma explicar detalhadamente como funciona o ciclo EARA. Mais uma vez, vou trazer aqui um explicação resumida, mais informações é só visitar o blog do Fernando.

As letras E, A, R e A que formam o nome desse método representam cada uma das etapas que compreendem o processo de aprendizado, segundo o Fernando.

E é de Estudo, que é quando você tem contato com algum conteúdo, seja através de uma aula, um livro, uma apostila. A representa Aplicação, que é converter o estudo em atividade através de exercícios, por exemplo. O R significa Revisão, quando se recupera o conteúdo estudado e é fundamental para a fixação e o real aprendizado. Por fim, o último A é de Adaptação, onde se reinicia o processo, avaliando seu desempenho: em quais pontos você tem maior dificuldade e quais tem facilidade, como foi seu resultado nos exercícios, dentre outras coisas.

Enquanto que o método anterior é mais direcionado para o gerenciamento do tempo de estudo, aqui o foco é o processo de aprendizado em si. Cada uma das fases representa uma das atividade que compõem esse processo.

  • Estudo: é quando se entra em contato com o conteúdo estudado pela primeira vez, ou quando se precisa aprofundá-lo pois surgiram dúvida e questionamentos.
  • Aplicação: como o próprio nome diz é colocar em prática o que se estudou. Envolve resolução de exercícios, realização de provas anteriores quando se estuda para concursos, Enem ou vestibular. É onde você verifica se realmente aprendeu o que foi estudado.
  • Revisão: aqui o conteúdo é novamente estudado, reforçando o entendimento e a memorização. Pode ser feito de diversas formas: resumo dos pontos principais, mapas mentais, fichas de estudo, releitura, o que você preferir.
  • Adaptação: de acordo com o Fernando, essa atividade é muitas vezes negligenciada, o que resulta em falha do aprendizado. É fundamental porque você consegue identificar seus pontos fortes e fracos e consegue trabalhar melhor com eles.

Método Cornell

Se os dois métodos anteriores tratam do gerenciamento do tempo de estudos e do processo de aprendizado, esse aqui é uma metodologia para aperfeiçoar suas anotações. Acredito eu que a grande maioria das pessoas, ao estudarem, costumar tomar notas, seja assistindo uma aula, lendo algum material ou acompanhando uma palestra.

O método Cornell uma forma de tornar suas anotações mais eficientes, tanto na hora em que você está tomando notas quanto para facilitar na hora de estudar e rever o conteúdo anotado.

A recomendação é que você divida a sua folha de notas em três partes, como mostrado na imagem abaixo:

funcionamento metodo cornell

A maior parte, onde está o número 1, é onde você fará as suas anotações, ou seja, onde fica o conteúdo que você está estudando, todas as informações. Você pode colocar gráficos, tabelas, destacar informações mais importantes, usar títulos e subtítulos e anotar suas dúvidas

Na parte 2, à esquerda, temos os tópicos. É aqui onde você vai revisar o conteúdo anotado e escrever os pontos chave, as ideias principais, referências, perguntas.

Na área 3, na parte debaixo da folha, fica o sumário, onde você anota um resumo do conteúdo daquela folha específica, facilitando identificar o conteúdo. É interessante também anotar o título (do assunto ou da disciplina) e a data.

É uma forma bem simples, e por isso também eficiente, de organizar suas anotações, auxiliando o aprendizado e na hora de revisar o conteúdo estudado.

Para finalizar, quero mencionar um método que eu li em um post do Vida Organizada, da Thais Godinho. O texto é antigo, de 2013 , e eu não sei se a Thais ainda usa esse método de estudo. De qualquer forma, achei a sugestão válida, porque é uma forma interessante de gerenciar o aprendizado.

Achei que o princípio desse método mencionado por ela lembra um pouco o método EARA. Basicamente, ela divide o estudo em fases:

  • Fase 1: é quando você começa a aprender o conteúdo, através de livros, aulas, cursos, fazendo resumos. Você só conclui essa fase quando tiver realmente assimilado o conteúdo.
  • Fase 2: aqui é feita a revisão constante do conteúdo, através da leitura de resumos, fazendo resumos novos, elaborando fichas de leitura, mapas mentais.
  • Fase 3: foca em realização de exercícios, resolução de provas anteriores. Aqui você consegue identificar qual conteúdo não foi suficientemente entendido (quando você tem dificuldade para resolver os exercícios) e, portanto, precisa ser revisado.

A ideia geral é essa. Quando você atinge a fase 3 em todos os assuntos estudados você pode adicionar conteúdo novos, mantendo os antigos apenas na fase 3, realizando exercícios para manter na memória o que foi aprendido e começando com os temas novos na fase 1. Se você está se preparando para um concurso, por exemplo, a ideia é que quando estiver próximo a data da realização da prova, todo o conteúdo do edital esteja na fase 3. Se quiser entender melhor, é só clicar no link lá em cima que leva para o post no blog da Thais.

Espero com esse post ter trazido algumas boas sugestões para que você consiga melhorar seu rendimento nos estudos. Espero também ter atendido expectativas de algumas pessoas que me enviaram e-mail pedindo para falar sobre esse tema. Se ficou alguma dúvida é só deixar nos comentários.

Até mais,

Juliana Sales

13 comentários sobre “Como aumentar sua produtividade nos estudos e melhorar seu rendimento

  1. Oi Juliana, sabe que na minha época de estudante, não estudava uma linha fora da sala de aula? Nem pensar. Era tudo feito ali. Anotações. Esclarecimento de dúvidas. Fora dali, quando muito eu passava a limpo algumas anotações. Eu achava bizarro o tempo que ficava na escola e ainda tinha aquele papo de tarefa para casa. A casa eu curtia a realidade. Assistia filmes, Ouvia músicas. Fazia atividades mil. Aprendia outros idiomas. Aprendia a tocar sax e piano. Jogava basquete e patinava. Mas nem olhava para livros e cadernos. sempre tive ótimas notas e acho que por não deixar meu cérebro refém da realidade escolar, que eu lhe juro, nunca considerei muito util. rs
    Fui até onde poderia ir nos estudos. me especializei e continuo a estudar a realidade.
    Amém.

    Curtido por 1 pessoa

    • Oi Lunna! Se tem uma coisa que eu acho muito interessante é como as pessoas tem diferentes visões de um mesmo assunto. Na época de escola também quase não estudava fora do horário de aula, sabe? E minhas notas também não eram tão ruins, apesar que hoje eu vejo que podiam ser melhores. Durante a faculdade que eu desenvolvi o hábito de estudar além da aula, mas foi meio que na marra, porque pra mim, só assistir a aula nunca seria suficiente. Eu realmente aprendia e consolidava o conhecimento estudando depois, fazendo revisão, exercícios e debatendo com os amigos. E é por isso que eu falo tanto aqui no blog que não existe uma fórmula mágica ou um jeito certo de ser mais produtivo, seja no trabalho, estudando ou na vida. Cada um é cada um, e só nós mesmos somos capazes de saber de que forma as coisas funcionam melhor pra nós. Obrigada pelo comentário!

      Curtir

  2. Olá!!!

    Gostei muito do post, sempre saio daqui com ótimas dicas.
    Em minha época de escola, que eu procurava sempre que possível estudar na parte da manhã, por me adaptar mais a esse horário, eu procurava sempre fazer minhas atividades de estudo dentro dessas horas, dificilmente levava ou estudava alguma coisa em casa. Sabe aquele preservar as horas de descanso e lazer, ou de outras atividades. Procurava seguir dessa forma e sempre deu muito certo.
    Hoje quando faço algum curso procuro agir dessa mesma forma e é o jeito que adotei para mim e claro que com isso, rendo mais.
    Parabéns pelo post!!

    bjs
    Fe

    Curtido por 1 pessoa

  3. Acredito que cada pessoa vai desenvolvendo seu próprio método de estudo com o passar dos anos, a forma de absorver conhecimentos vai se adaptando à individualidade de cada um. Os métodos apresentados podem ser muito úteis pra quem tem uma grande carga de aprendizado a ser absorvido. O que mais me chamou a atenção foi o EARA, a fase de Aplicação pode fazer toda a diferença na fixação do conteúdo.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Ju, adorei essa sua publicação. Eu sempre tive muita dificuldade pra me concentrar e pra melhorar meu rendimento… Usei a técnica do Pomodoro, mas também não sei se ajudava muito…
    Eu percebi que eu rendia mais a noite, ao invés da manhã, então deixava pra fazer tudo que precisava na parte da noite, antes de dormir. Parece que fixava melhor. Acredito que cada um vai desenvolvendo seu próprio método de estudo ne? Gostei muito do blog! Voltarei mais vezes! Beijos!!!

    Curtido por 1 pessoa

  5. Esse tipo de post é extremamente útil, em especial para mim que sou universitária. Mesmo amando meu curso, a gente caba procrastinando às vezes. Faz parte haha. Uma dica que uso comigo mesma é tornar o momento dos estudos o mais leve possível: sempre faço uma xícara de chá e tento deixar meu local de estudo aconchegante. Ah, e eu sou bem mais produtiva com muita coisa durante a noite, o que é uma desvantagem, já que estudo de manhã.

    O post está incrível, muito completinho. Na verdade, seu blog é de utilidade pública *-*

    Curtir

  6. os estudos nunca foi um grande problema para mim graças a deus sempre que preciso realmente me concentrar em aprender eu meu desligo de tudo e foco nos estudos mais nem todo mundo consegue né ainda mais que muita gente vive com muita coisa na cabeça, entao dicas é sempre bem vindas

    Curtido por 1 pessoa

  7. […] Você pode querer usar técnicas para melhorar seu foco e uma boa opção é o método Deep Work. Quando for estudar escolha um método de estudo que funcione bem para você: algumas pessoas aprendem melhor lendo, outras escrevendo, outras com a aula expositiva tradicional. Encontre um método que atenda suas necessidades. Aqui tem algumas dicas de como melhorar a sua produtividade nos estudos. […]

    Curtir

Deixe uma resposta para blogcoisasdavidadabru Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s