Produtividade e Sucesso

Eu já questionei aqui algumas vezes sobre o que é produtividade. Para mim é alcançar resultados. É fazer o que se tem obrigação de fazer e ainda ter tempo para descanso e lazer. É conseguir realizar projetos, profissionais e pessoais. Até certo ponto, e considerando esse ponto de vista, produtividade tem uma relação bem estreita com o sucesso.

Fiquei pensando sobre isso depois de ter lido alguns dias atrás sobre o conceito do Ciclo do Sucesso, desenvolvido pelo conhecido coach e palestrante norte-americano Tony Robbins. Eu até falei sobre ele aqui uma vez, no post sobre o método RPM, do qual ele é criador.

A ideia defendida por Robbins é que o sucesso é obtido por um ciclo composto de quatro etapas: Crenças, Potencial, Resultados e Ação. Segundo ele, “o ciclo de sucesso mostra que o que você faz afeta seus resultados, o que impacta as suas escolhas, impactando seus resultados”. É um ciclo onde suas escolhas afetam seus resultados que afetarão suas futuras escolhas e, por consequência, seus futuros resultados.

Basicamente, cada etapa do Ciclo do Sucesso funciona da seguinte forma:

  • Crenças: se refere a necessidade de ter crenças fortes e a se atentar para nossas crenças limitantes. Crenças fracas trarão resultados fracos, que reforçarão novas crenças fracas.
  • Potencial: é a capacidade que temos de realizar nossas metas. Está diretamente ligado as crenças, porque crenças limitantes nos impedem de ver claramente nosso potencial.
  • Resultados: é a soma das suas crenças, seu potencial e sua ações. Então, os resultados não ocorrem quando não acreditamos, quando não agimos ou quando não nos dedicamos.
  • Ação: a ação é o ponto principal, o que faz com que os resultados aconteçam. Para nos motivarmos a agir é importante termos crenças fortes e acreditarmos no nosso potencial.

Isso tudo pode aparecer um pouco abstrato, talvez um monte de palavras que não indicam nenhuma direção prática. Mas o que eu quero propor é que esses mesmos conceitos podem ser aplicados quando falamos de ser mais produtivo.

Vamos começar com os resultados. Não há evidência maior de que você está sendo produtivo do que a obtenção de resultados. E estamos falando de resultados no sentido de metas, objetivos, projetos, sonhos. Concluir projetos, alcançar objetivos, realizar sonhos, tudo isso é sinal de uma vida produtiva.

cafe laptop celular notebook cactos

Foto de Ben Kolde em Unsplash

Porém, antes de ter resultados é necessário agir. Eu sempre digo que se planejar é essencial, organizar suas tarefas e gerenciar seu tempo é importante, mas você só consegue chegar onde quer quando começa a agir. O que acontece é que muitas vezes isso não é tão simples assim. Muitas vezes fugimos da ação, procrastinamos, nos sentimos desmotivados e por isso acabamos não obtendo os resultados que esperamos.

Crenças e potencial estão diretamente relacionados a isso. Em termos de produtividade, eu enxergo o potencial como os recursos que estão a nossa disposição, as coisas das quais necessitamos para agir. Já as crenças teriam relação com a nossa mentalidade: motivação, tendência procrastinar, maior ou menor facilidade de se concentrar.

Assim, crenças e potencial estão interligados e é preciso lidar de forma adequada com ambos de forma que eles proporcionem um motivo e um incentivo para agir, pois só através da ação chegaremos aos resultados que queremos. Com os primeiros resultados alcançados a tendência é o surgimento de uma mentalidade que nos faz crer e nos estimula a continuar agindo para obter mais resultados.

Então, se você não se sente produtivo, um ou mais componentes do ciclo devem estar deficientes. Como Robbins menciona ao explicar seu Ciclo do Sucesso, por que você não obtém resultados? Porque você não acredita, porque você não age ou porque você não se dedica.

Como eu já disse, a relação entre ação e resultado é óbvia. Você não consegue finalizar um relatório porque não trabalhou nele (porque qualquer que seja o motivo). Você não consegue fazer um curso porque suas ações não te direcionam para isso. Ao entender esse ponto, podemos ir mais além: por que você não age? Por que suas ações não te levam para onde você quer?

Existem muitas respostas. Porque eu não tenho tempo. Porque eu não sei como fazer. Porque eu não sei por onde começar. Porque eu tenho outras coisas para fazer. Tudo isso representa as crenças e o potencial. Ou, como eu prefiro chamar em termos de produtividade: mentalidade e recursos.

Se você não age por falta de conhecimento, por exemplo, te faltam recursos. Mas você precisa entender, então, que é necessário elaborar um plano para obter os recursos que te faltam, e agir conforme esse plano. Se te falta tempo, pode ser realmente uma falta de recurso, no sentido de que todo o seu tempo está ocupado com outras coisas. Aí entra a questão da prioridade. Essas outras coisas são realmente importantes ou você pode deixar de fazer alguma delas para dedicar um pouco de tempo a isso que você quer fazer e não consegue? Eu já falei muito por aqui sobre como é importante ter claras nossas prioridades. Lembrando que quem tem 10 prioridades na realidade não tem nenhuma.

teclado computador mouse celular mesa canetas caderno

Foto de Jeff Sheldon em Unsplash

Mas falta de tempo também pode ser uma questão de mentalidade. Você realmente está aproveitando seu tempo da melhor forma possível? Seu tempo está sendo bem administrado? Muitas vezes é uma questão de ajuste de rotina e de fazer as coisas de forma mais eficiente, para que você encontre o tempo de que tanto precisa.

Temos então um círculo de produtividade, que funciona assim:

  • Mentalidade: tudo que envolve o que te predispõe a agir ou deixar de agir e fazer suas tarefas. Engloba capacidade de concentração, com que frequência você procrastina (e por que isso acontece), se você se sente motivado, como você se organiza. Você precisa ter uma mentalidade produtiva para ter uma vida produtiva.
  • Recursos: envolve tudo que é necessário para a execução de suas ações. Você precisa ter uma mentalidade produtiva para poder avaliar e gerenciar bem seus recursos. Os principais recursos estão relacionados aos três fundamentos da produtividade: tempo, energia e atenção.
  • Resultados: assim como no círculo do sucesso, o resultado aqui é definido pela mentalidade, pelos recursos e pelas ações.
  • Ações: são suas tarefas, suas atividades, as coisas que você faz para alcançar seus resultados. Para que elas sejam eficientes você precisa ter uma mentalidade produtiva e saber usar bem seus recursos.

No post da semana passada eu quis refletir sobre a dificuldade que muitas pessoas tem para encontrar uma técnica de produtividade que realmente atenda suas necessidades. Tenho pensado muito nessa questão porque cada vez mais surgem novas técnicas, fora as inúmeras que já existem. Existem muitas opções, muitas possíveis soluções, mas cada vez mais pessoas reclamam que não estão conseguindo ser produtivas.

Eu acredito que uma parte do problema é o que falei no post anterior, sobre termos tantas opções que acabam complicando a escolha. E acredito também que isso se deve principalmente à duas coisas. Uma delas é a dificuldade das pessoas em identificarem de fato qual seu maior problema com relação a produtividade. A outra é algo um pouco mais sutil: a quantidade enorme de possibilidades torna complicada uma coisa que deveria ser simples.

Produtividade é simplesmente fazer as coisas de forma eficiente. Atingir seus objetivos. E isso pode ser resumido pelo ciclo de produtividade que eu mencionei: desenvolver uma mentalidade produtiva (e eu já falei sobre isso aqui) que te permita aproveitar bem os seus recursos de forma que suas ações contribuam com a obtenção dos resultados que você deseja. Produtividade é isso.

Até mais,

Juliana Sales

20 comentários sobre “Produtividade e Sucesso

  1. Olá!!

    Excelente post, me animou!
    Ultimamente tenho me sentido desmotivada pra tudo. Comecei o ano com planejamentos, coisas que gostaria de colocar em prática, mas os problemas têm me afetado de alguma forma. Nem tanto pelo físico, mas pelo estado mental. Então chegar nos resultados está difícil, eu começo as coisas e levo tempos pra finalizar.
    Vou tentar estudar melhor tudo que foi falado e ver se consigo melhorar.

    bjs

    Curtido por 1 pessoa

    • Que bom que o post te animou Fê! O estado mental realmente afeta bastante. Por isso acho importante trabalhar nesse lado e não focar só em técnicas, métodos, etc. Talvez seja uma boa também rever seu planejamento, mudar/simplificar alguma coisa. Além, é claro, de cuidar da mente. Tomara que logo seus planos estejam representados por ações!

      Curtir

  2. Olá, tudo bem?

    Como sempre, seu post foi bastante esclarecedor e cheio de conteúdo bacana pra gente aplicar no dia a dia. Adorei e obrigada por sempre compartilhar isso conosco *-*

    Acredito que o sucesso na nossa produtividade funciona como você explicou, com planejamento mas principalmente ação! Tem hora que a ação é o mais complicado devido aos n problemas que encaramos diariamente que acabam nos desmotivando :/ (falo por experiência própria). O que nos resta, então, é tentar vencer essa desmotivação com coisas que nos relaxem (acho!) e nos façam bem, para que aí sim a gente consiga ser produtivo.

    Beijinhos e bom fim de semana.
    Isabelle
    https://livrosgatoscafe.wordpress.com/

    Curtido por 1 pessoa

    • Oi Isabelle, fico feliz que goste do conteúdo que compartilho por aqui. E sim, a ação é onde deve estar nosso foco e é mais que normal as vezes nos sentirmos desmotivados, pelos mais diversos motivos. O que temos que fazer é descobrir maneiras de sair dessa inércia e cada um sabe o que funciona melhor para si (como você disse, fazer coisas relaxantes e que acalmem nossa mente pode ser uma boa pedida). Por mais que a ação seja importante, é importante também entender e aceitar nossos momentos de “não ação” e lidar com eles da melhor forma possível.

      Curtido por 1 pessoa

  3. Eu acho que é bem por aí: é preciso ter uma mentalidade produtiva para ser produtivo e para isso a ação é fundamental. Se a força de vontade para agir não estiver presente, nenhum método surtirá efeito. O sucesso só é alcançado com esforço e dedicação.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Quando você falou de crenças no post eu logo me lembrei de uma fala de uma professora. Ela disse que não dá aula para “aluno descrente”, aluno que não acredita que pode chegar a algum lugar. Mesmo ela não sendo minha professora preferida, achei isso bem verdadeiro. Nosso pensamente tem bastante poder sobre nós, e se não tivermos uma mentalidade boa para fazer as coisas, elas simplesmente não serão feitas, independente do método que a gente use.
    Como sempre, eu amei o post ❤

    Curtido por 1 pessoa

    • Eu penso exatamente assim Luana. Não tem motivação e força de vontade que resista se não acreditarmos que pode dar certo, que as coisas podem acontecer. E sem motivação e força de vontade a gente não age e aí é que não sai do lugar mesmo.

      Curtir

  5. Penso que o foco deva estar na ação em prol dos resultados como um dos propósitos da produtividade. Achei um post bem interessante, pois nos faz refletir acerca das nossas ações, metas e técnicas de organização. Gosto muito de estar aqui! Beijos!

    Curtido por 1 pessoa

    • É exatamente isso Ana Claudia, o foco deve ser sempre a ação, é agindo que saímos do lugar e caminhamos em direção aos nossos objetivos. Fico muito feliz que goste daqui! 🙂 ❤

      Curtir

  6. Nossos resultados dependem da nossa força de vontade. Se formos otimistas, na maioria das vezes teremos resultados otimistas, mesmo notando os obstáculos,devemos saber que nenhum deles é intransponível!!!

    Curtido por 1 pessoa

  7. Oi Juliana, e lá vou eu para o outro lado da rua… como todo artista sempre tende a fazer. Eu fujo de rótulos porque preciso mesmo deixar a mente liberada para suas catarses. Às vezes, ser produtivo é simplesmente deixar o dia agir, sem impor a ele absolutamente nada. Seguir o fluxo. Não funciona com todo mundo, mas no mundo em que vivo em que as pessoas reclamam constantemente dos ‘brancos e vazios’… seria tão simples, se elas parassem, respirassem e saíssem para andar. Mas não fazem isso, se obrigam ao trabalho e as técnicas existentes (inventadas para uso próprio) e que nem sempre se adequam a nós.
    Eu leio sobre o tema, principalmente aqui em seu blogue, mas recuso os livros que já me ofereceram porque não gosto de nada que serviu para o outro. Na sua escrita, no entanto, eu localizo o meu lado oposto e até escrevi um post sobre isso recentemente… sobre metas e afins.
    Acho que o importante é saber o seu centro-norte (cada um chama como quiser) e se encontrar, conscientemente de que o que nos define é aquele olhar no espelho em algum momento do dia. Gosto de jogar água fria no rosto e encarar-me, consciente, de que tudo pode dar certo se eu tentar, mas pode dar errado e se for assim, tentarei de novo, de outra maneira ou desistirei. Não há nada de errado em falhar-desistir, mas engraçado como nos tentam fazer acreditar que não podemos falhar (é a primeira falha) e que não podemos desistir (a segunda falha).
    Enfim, gosto de saber que posso dar certo-errado e que o resultado final não será exatamente sucesso porque eu nem gosto dessa palavra. Ela não depende de mim, depende do outro e de tantas outras coisas. Mas, ver um projeto finalizado, consciente de que dediquei a ele tudo que eu tenho em mim, me faz bem. Mas dura um mísero segundo e pronto. Já é preciso respirar fundo e pensar no próximo… a roda gira.

    bacio

    Curtido por 1 pessoa

    • Oi Lunna! Eu sou dessas pessoas que não funciona simplesmente seguir o fluxo. Mas isso não quer dizer que eu não tenha meus momentos assim, o que acontece é que eu encaixo esses momentos dentro do meu planejamento. Meio doido, né? E eu concordo muito quando você diz que as pessoas se obrigam a seguir os métodos dos outros. Por isso que eu sempre digo por aqui que cada um tem que usar o que se adapta melhor para si. Eu apresento um monte de métodos para que pessoa consiga descobrir o que funciona melhor pra ela. Porque somos todos diferentes e cada um sabe onde o sapato aperta. E isso que você falou sobre falhar/desistir me lembrou uma citação de Caio Fernando Abreu: “desistir não é nobre. E, arduamente, não desistimos”. Eu acho a busca pelo sucesso/realização/resultados extremamente válida, mas precisamos entender que não é pra ser uma obrigação e sim uma satisfação própria. Pensando aqui que talvez eu escreva sobre isso aqui no blog mais pra frente, porque é uma boa reflexão.

      Curtir

  8. Eu queria ter como postar gif aqui pra colocar uma daquelas imagens com as pessoas simulando um mind-blowing! ahahah Eu achei fantástico o paralelo que você conseguiu traçar nesse post (acho que dos melhores que já li aqui).
    E o interessante é que tudo faz sentido e duma clareza quando lemos que só penso, poxa, não é que é realmente assim? ehehe
    A questão sobre a busca do sucesso em si, da produtividade, é algo que ainda pode render muitos debates, até porque o próprio fundamento de motivação pode ser complicado de definir. Em um projeto pessoal, talvez seja mais fácil centrar e conseguir descobrir isso. No trabalho, por exemplo, a motivação além de um salário para pagar boletos pode ser um tanto quanto complicada de ser sólida em alguns pontos.
    Mas gosto da ideia da dinâmica de como as coisas funcionam e puxam as próximas, acredito que esse ciclo se repita mesmo quando não percebamos.
    xoxo

    Curtido por 1 pessoa

    • Oi Rê, fico feliz demais que o post tenha te dado essa sensação de mind blowing. E concordo muito com o que você disse que as vezes achar uma motivação no trabalho, além do dinheiro em si, é um pouco complicado. Em um mundo ideal as pessoas trabalhariam só com o que gostam, e aí seria fácil encontrar essa motivação, mas na realidade não é bem assim. E acho que o ciclo acontece sim mesmo sem percebermos, o problema é quando o ciclo é negativo, com a ausência de resultados ou resultados ruins causando desmotivação, que nos paralisa na hora de agir, o que traz mais resultados ruins…

      Curtir

    • Que bom que o post de inspirou Jessica! Essa frustração é normal quando não conseguimos colocar em prática nosso planos, mas aí é a hora de rever nosso planejamento, tentar entender porque não deu certo e talvez até reformular tudo de novo de outra forma.

      Curtir

  9. Eu gosto muito dos livros do Tony Robbins, mas esse eu ainda não li.
    Seu testo é exemplar como sempre, mas eu sempre me perco no meio do caminho…rs

    Parece que a minha força de vontade para realizar as mínimas tarefas do meu dia a dia se foi e eu me perco no básico. Não faço nada e não tenho tempo para nada, não sei quando foi que isso aconteceu, pois eu costumava ser uma pessoa bem produtiva;
    Hoje tenho a crença de que vai acontecer, tenho a capacidade para fazer, mas na hora da força de vontade ou da ação nada mais flui e eu empaco de novo 😦

    Curtido por 1 pessoa

    • Oi Cilene, acredita que eu nunca li nenhum livro dele? Eu acompanho os textos do blog, mas ainda não li nenhum livro, apesar de ter alguns na minha lista. Quanto ao que você disse, acho que o primeiro passo é identificar onde você deixou de ser a pessoa produtiva que era. E avaliar porque te falta essa motivação: suas metas estão muito difíceis? Ou elas não são mais tão interessantes assim pra você? Depois, veja o que acha que mais te atrapalha para fazer suas coisas: é falta de tempo, de energia ou de concentração? Pode até ser os 3 e você precisa lidar com cada um deles de forma diferente. Se quiser me manda um e-mail, podemos conversar e ver se eu consigo te ajudar a mudar isso.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s