O que você faz com o tempo que tem?

Produtividade, na minha concepção pessoal, envolve alguns parâmetros. Um deles é alcançar resultados, no sentido de atingir objetivos, concluir projetos, executar ações. Produtividade também é alcançar esses resultados de forma otimizada, ou seja, agindo com eficiência. Complementarmente, agir de forma eficiente é o que permite trabalhar para realizar suas metas sem comprometer momentos de lazer e descanso. E aí entra o tal do equilíbrio, que é outro conceito envolvido na minha definição de produtividade.

Temos aqui, então, três palavras que se entrelaçam e que fazem parte da minha estratégia para ser uma pessoa produtiva: resultados, eficiência e equilíbrio. E, no final das contas, ao analisar o sentido de cada palavra, elas convergem para uma quarta palavra que é um dos três fundamentos da produtividade: tempo (se quiser saber mais dos outros dois fundamentos é só clicar ali no link).

Produtividade é, em essência, usar bem o seu tempo, para conseguir fazer o que você quer sem prejudicar as coisas que você precisa – ou fazer as coisas que você precisa sem prejudicar as coisas que você quer fazer. Tanto que uma das maiores queixas de quem não se considera produtivo é não ter tempo para nada. Isso é extremamente comum e eu sempre digo que para resolver essa queixa é preciso aceitar que você nunca vai conseguir fazer tudo. Simples assim. O dia nunca terá mais de 24 horas. E as suas tarefas não terão fim. A equação não fecha. Entender isso é o primeiro passo para deixar de ser refém do tempo e conseguir usá-lo da forma que deseja.

O problema é que a maioria das pessoas reclama da falta de tempo mas não cuida do seu tempo como deveria. Porque o tempo é precioso e muitos de nós simplesmente deixamos que ele passe, sem sequer perceber o que estamos fazendo com o tempo que temos.

ampulheta

Foto de Alexandar Todov em Unsplash

A realidade é que falta de tempo não existe. Todo mundo tem as mesma 24 horas no dia, os mesmos 7 dias na semana e por aí vai. Então, por que algumas pessoas conseguem fazer várias coisas, trabalhar, viajar, estudar, ficar com a família, ter um hobbie, enquanto outras mal conseguem cumprir suas obrigações?

Porque faltam várias outras coisas, mas não tempo. Falta definir prioridades. Falta organização. Falta planejamento. Falta disciplina. Mas tempo? Todo mundo tem o mesmo tempo. O que muda é a forma como você cuida do tempo que você tem. Claro que existem circunstâncias e momentos na vida em que acabamos ficando sim a mercê do tempo, seja por nossa própria responsabilidade seja por causa de terceiros seja pela situação. É óbvio que alguém que trabalha, estuda e cuida da casa, por exemplo, vai ter seu tempo praticamente todo ocupado.

Nesse caso, ou você tenta mudar agora ou encara a situação como transitória e começa a trabalhar para mudá-la futuramente. O que não dá é viver a vida toda reclamando que não tem tempo para nada, que queria passar mais tempo com a família, ou fazer exercícios, ou ler um livro ou o que quer que seja.

Exceção feita à essas situações que mencionei, a maioria das pessoas está sim presa em um cenário de falta de tempo por não conseguir ou não saber como cuidar do próprio tempo. Eu acredito que o primeiro passo para mudar isso é definir prioridades. Ter clareza do que é o mais importante e dedicar seu tempo a isso. E não venha com a ideia de que tudo é prioridade, porque quem tem várias prioridades não tem nenhuma. Sempre existe alguma coisa que é mais importante e na hora de definir como usar seu tempo, ela deve ser a primeira escolha.

Duas coisas sobre prioridades: 1) elas mudam. Sua prioridade hoje pode não ser a mesma daqui a um ano, um mês ou mesmo amanhã; por isso é importante fazer sempre esse esclarecimento sobre o que é prioritário. E 2) focar seu tempo na sua prioridade não é o mesmo que gastar todo o seu tempo com ela. Equilíbrio, lembram?

relogio

Foto de Ezra Jeffrey-Comeau em Unsplash

Para garantir o tal do equilíbrio é necessário organizar a forma que você usa o seu tempo. Como? Planejando! Sim, pode me dar a carteirinha de maior defensora universal do planejamento. Mas, pensem comigo: como é que você vai distribuir suas atividades ( e o seu descanso e o lazer) pelo tempo que você tem se você não sabe quanto tempo você tem disponível? E como vai saber quanto tempo tem disponível se as suas atividades não estiverem organizadas?

Percebem como tudo está ligado? Esse post está cheio de perguntas porque a ideia dele é exatamente te fazer pensar o que você está fazendo com o seu tempo. Se você está dando o valor que ele merece. E eu sei que muitas vezes não temos ânimo, disposição, paciência ou até tempo (risos) para organizar e planejar o uso do tempo. Mas eu acredito sinceramente que se isso não for feito, passaremos a vida toda lamentando a falta de tempo e de não conseguir fazer as coisas “porque não tem tempo”.

A mensagem final é uma só: cuide do seu tempo. Organize suas tarefas. Saiba suas prioridades e foque nelas. Mas não gaste todo o seu tempo com isso. Separe tempo para descansar e para se divertir. Planeje-se para conseguir fazer isso. Entenda que você não precisa fazer tudo e, na verdade, isso nem possível. Desapegue. Delegue. Entenda que algumas coisas podem ficar pra depois.

E lembre-se que nada é definitivo. Se você está em um momento que precisa direcionar sua atenção 100% para o trabalho ou para os estudos, tudo bem. Se no momento você precisa abrir mão do lazer por qualquer motivo, tudo bem também. Essa é sua realidade agora. Mas certifique-se de que é passageiro e que não vai passar sua vida toda assim. Por outro lado, passar um dia inteiro à toa porque você precisa disso, também é cuidar do seu tempo. Passar uma semana, um mês ou outro período de tempo sem planejar nada é ok se te fizer bem. Porque cuidar do seu tempo implica em cuidar de você. Cuidar do seu tempo é usá-lo de forma consciente, fazendo o que é importante para você.

Me conta, você tem cuidado bem do seu tempo?

Até mais,

Juliana Sales

 

35 comentários sobre “O que você faz com o tempo que tem?

  1. Meu maior desafio é ter vários interesses completamente diferentes e também passar por 3 cidades diferentes todos os dias…rs…. Tô até gostando da quarentena por conta dessa sobra de tempo 😦

    Abraços

    Curtido por 1 pessoa

    • Olha Darlene, interesses diferentes eu acredito que dê pra gerenciar, mas ter que transitar entre 3 cidades é realmente complicado. O tempo que se gasta diariamente com transporte (não nos tempos atuais, claro) é considerável e é quase um tempo perdido. Dependendo do tipo e das condições de transporte, até dá pra usar esse tempo pra fazer alguns tipos de tarefa, mas nem sempre funciona.

      Curtido por 1 pessoa

      • Pois é, fiz as contas e são pelo menos 4 horas diárias no ônibus, em geral lotado, então quando consigo ir sentada a única tarefa possível é dormir por ter chego muito tarde no dia anterior ou por estar exausta mesmo. Tem dias que saio de casa as 7 e retorno depois da meia noite :/. A quarentena, nesse sentido, está sendo um momento de conforto já que as aulas estão online hehe

        Curtido por 1 pessoa

      • Nossa, 4 horas é muito tempo perdido mesmo, ainda mais se não dá nem pra sentar, aí que não dá pra fazer quase nada. Ouvir algum podcast ou audiobook, talvez? Ou dormir mesmo, para tentar compensar um pouco essa questão do cansaço.

        Curtir

      • Dormir mesmo heheh evito usar fones pra não ficar com zumbido nos ouvidos e pq a professora de percepção musical falou que é super prejudicial… 😦

        Curtido por 1 pessoa

      • Tem que tomar cuidado, pode gerar perdas auditivas. O ideal é não ultrapassar 30 até 60 minutos/dia e em ambientes silenciosos pra não ter que aumentar o volume.

        Curtido por 1 pessoa

      • Nossa, vou me atentar a isso. Fico literalmente o dia inteiro com fone: ouvindo música enquanto trabalho, para as reuniões com clientes, para assistir série, até para conversar mesmo, quase não faço ligações usando o celular direto, acho o fone mais prático. Tenho que prestar atenção nisso.

        Curtir

  2. Sempre me sobra tempo no meu dia a dia, mas preciso organizá-lo melhor, pois não esse tempo que sobra não está dando para fazer quase nada, por falta de organização da minha parte. Tem vezes que aproveito bem, mas na maioria, não está sendo nada produtivo. Preciso colocar duas palavras que citou em seu post em prática: delegar e desapegar.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Falou tudo Juliana, definir prioridades e também ter a consciência que elas podem mudar (o que importante hoje pode não ser amanhã), acredito que seja o ponto chave para um planejamento de sucesso. É preciso saber aproveitar o tempo a nosso favor sabendo usá-lo com sabedoria.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Excelente post, como sempre! Dicas valiosas!
    Planejamento é necessário, ou então acabamos nos enrolando :S
    (embora ultimamente nem assim eu consiga dar conta das tarefas diárias, mas aí é coisa minha mesmo, de falta de vontade e etc; mas é aquilo: passa!)
    E também, como o planejamento é importante, as horas de “ócio” também são valiosíssimas! Temos que dar uma relaxada também de vez em quando!
    Abraços e boa semana.

    Curtido por 1 pessoa

    • Obrigada pelo elogio! Quanto a não dar conta das tarefas diárias, vez ou outra acontece com todo mundo e você tem razão: uma hora passa. Mas, enquanto isso, já pensou em diminuir o volume de tarefa que você se propõem a fazer no dia? Quem sabe isso não te dá um ânimo. Se forem coisas obrigatórias não tem muito o que fazer, mas veja se você não está se auto cobrando coisas demais para fazer e que não precisam necessariamente serem feitas em um dia específico.

      Curtido por 1 pessoa

  5. Eu preciso acordar mais cedo para conseguir resolver as pequenas coisas do dia-a-dia, e assim sobrar tempo para fazer coisas novas e diferentes. Essa quarentena tem me ajudado a estudar com mais afinco e determinação, em contra partida estou dormindo muito tarde e acordando muito tarde o que me deixa com pouco tempo para ler, fazer exercicios e coisas saudavéis.
    Adorei o seu post! Preciso começar a fazer e seguir um planejamento diário mas, principalmente descobrir quais são minhas prioridades no dia.
    Abraços e ótima semana.

    Curtido por 1 pessoa

    • Eu também tenho acordado mais tarde e dormido mais tarde nessa quarentena, Viviane. Mas não acho que isso seja necessariamente um problema, já que eu não tenho passado mais tempo dormindo, só mudei os horários. E como eu normalmente já tenho o hábito de trabalhar mais à noite/de madrugada porque é meu horário de maior concentração, então tudo bem. Acho que só é necessário acordar mais cedo, se você realmente precisar de um tempo “extra” no seu dia, que não consegue tirar de nenhum outro lugar. Senão, eu nunca sou a favor de sacrificar o tempo de sono para fazer qualquer outra coisa. Mas no seu caso, como você diz que está com menos tempo para fazer outras coisas, pode ser sim uma boa pedida.

      Curtir

  6. Sempre tive problemas para lidar com essa coisa de organização e com o tempo não é diferente. A coisa de entender que mudamos é, no meu caso, muito importante, até por ser muuuuito inconstante e ter vários interesses, mas realmente, não é uma questão de “não ter tempo”, apenas má administração mesmo rs (no meu caso ao menos também). De um tempo para cá, com atividades em casa, sobra muito tempo e sempre consumo de forma desregrada, mas isto vem mudando.

    Curtido por 1 pessoa

    • Sabe que às vezes tenho essa impressão, Daniel? Que quando “sobra” tempo parece que é mais difícil organizá-lo e usá-lo de forma consciente. Acho que o ponto é justamente ter essa consciência, de o que estamos fazendo com o nosso tempo, e não simplesmente deixar passar.

      Curtir

  7. Acho que você super tem razão quando diz que “O problema é que a maioria das pessoas reclama da falta de tempo mas não cuida do seu tempo como deveria.” E eu tenho plena noção de que me falta planejamento e organização mesmo, mas alguns dias simplesmente não consigo. Hoje mesmo é um desses dias que acordei com dor e não rendi nada, mas eu espero que em breve eu consiga administrar melhor meu tempo porque sei que rotina diária leva a mudança de hábitos.

    Curtido por 1 pessoa

    • Mas é super normal que alguns dias as coisas não fluam. Por isso digo que o planejamento deve ser flexível, para poder acomodar esse momentos que todos nós temos, sem falar dos imprevistos que sempre acontecem.

      Curtir

  8. Ah, esse isolamento social!!! Como já estou há mais de oitenta dias em casa, comecei a planeja meu tempo…De manhã, já que minha filha esta concentrada nas aulas, também fico concentrada nos meus estudos. Foi muito bom ter estabelecido esse tempo. E para o período da tarde reservei um tempo para organizar a casa, e para rever os conteúdos da escola com a minha filha. Sabado antes era o dia de limpar a casa, mas, agora é dia de não fazer nada, e esta sendo muito bom esse tempo “de não fazer nada”, domingo separei um tempo maior para aquelas coisinhas básicas de hidratar cabelo, um banho demorado e ficar até mais tempo na cama (como já fazia antes!.
    Abraços

    Curtido por 1 pessoa

    • Pois é Ale, nesse isolamento social pra mim é ainda mais importante se planejar. Não a longo prazo, mas simplesmente o dia, como vai ser a rotina. Acho que ajuda a manter uma certa normalidade, sabe? E ainda ajuda a nos mantermos ativos, manter a mente ocupada, o que pra mim pelo menos é importante. Achei bem legal a forma como você tem organizado sua semana, inclusive o dia de não fazer nada. 😉

      Curtir

  9. Acredito realmente que essa dita “falta de tempo” é questão de falta de planejamento, assim como você. Eu tento sempre otimizar o meu tempo; por mais que tente não me cobrar para estar fazendo algo a todo tempo, eu me sinto muito mais clama e satisfeita quando sinto que aproveitem bem as horas do meu dia. Acredito que aí entra também a questão do ânimo (ou a falta dele). Procrastinar pode se tornar um hábito bem ruim, e quando a gente se pega num dia onde sente vontade de fazer nada o dia passa e a gente diz que não teve tempo.
    No final, o que me ajuda é fazer listas. Eu amo, faço em todos os lugares: planner, caderninhos, aplicativos… mesmo que a lista de tarefas não seja toda cumprida, fazer apenas uma coisa que seja faz sentir que o meu tempo não foi desperdiçado.

    Curtido por 1 pessoa

    • Sabia que planejar é uma coisa que me ajuda muito a evitar a procrastinação, Luana? Por exemplo, se eu tenho um relatório muito difícil ou chato pra escrever, e sinto que a procrastinação quer aparecer, eu me planejo para de tal a tal hora, fazer o tal relatório, e logo depois, assistir um episódio de uma série que eu gosto, por exemplo. Assim, eu evito ficar procrastinando porque sei que se atrasar o relatório vou atrapalhar minha “programação” e ficar sem aquele momento de lazer. E sobre listas: amo! Acho que é o jeito mais simples de tirar as coisas da cabeça e começar a se organizar.

      Curtir

  10. Essa semana resolvi aplicar várias dicas que eu leio aqui no seu blog. Fiz uma planilha com minha rotina semanal, afazeres do trabalho e até mesmo listas de leitura (lazer e estudo) e filmes e séries. É importante planejar o tempo para não desperdiçar, né?

    Curtido por 1 pessoa

    • Oi Raphael, que bom saber que as dicas do blog tem sido úteis! E sim, a ideia é planejar para não desperdiçar, inclusive para poder fazer essas coisas que nos fazem bem, como livros e séries.

      Curtir

  11. Boa tarde, cara mia…

    A minha relação com o tempo é de não dar a mínima para ele. Eu sei do que preciso fazer e do prazo que estabeleço, mas não vivo em função disso e sim do que preciso fazer para realizar o que pretendo. Eu nunca tive afinidade alguma com relógios e calendários. Aliás, nessa pandemia eu vivo a repetir o dia para ver se não me engano.
    Como você disse, não é tempo que falta… são outras coisas. Então não adianta olhar para o relógio e ver números iguais (tentando estabelecer metas planetárias estranhas) que não vai a lugar algum. E existe uma coisa muito mais importante para mim que é o meu corpo, ele tem seus algarismos válidos e é com eles que me preocupo. Se não estou a fim de fazer alguma coisa, paro. E se algo não está a acontecer como gostaria, abandono. Aliás, nesse ano recuei em dois momentos e estaria numa situação complicada não fosse esse recuo. Foi um parar e respirar e ouvir meu batimento cardíaco, mais preciso que qualquer relógio.

    Na semana passada me pediram um material (estou cheia de afazeres nessas últimas semanas, ao contrário dos primeiros dias de reclusão em que nada fiz) e precisei estabelecer um prazo. Foi tão difícil margear o futuro e dizer o tempo que levaria para fazer. Sei que irei preparar tudo e entregar, mas não conseguia pontuar uma data. Pedi socorro ao Engenheiro da casa que é mais lógico que eu e contabilizou dias-horas-espaço-folga-cafés e pronto.
    Eu não tenho vergonha em pedir ajuda quando falho em certas coisas, acho mais fácil e prático do que tentar explicar para alguém como funciono e correr o risco de ouvir o que preciso ou não mudar em mim. rs

    bacio

    Curtido por 1 pessoa

    • Sempre digo que acho muito interessante ver seu ponto de vista dos assuntos que eu falo aqui, porque é totalmente diferente da minha forma de ver o mundo, e isso enriquece muito e me abre a mente. Eu não consigo me imaginar tocando meus projetos, fazendo tarefas e tudo mais sem relógios e calendários. E eu concordo muito quando você diz de respeitar o próprio tempo e seguir o próprio ritmo. Eu sigo muito isso, mas só consigo fazer funcionar por causa dos relógios e calendários 😉

      Curtir

  12. Antes tinha dias que eu acordava trabalhando e ia até de madrugada e apesar de tudo, não conseguia dar conta.
    Hoje organizo mais e desapeguei também. Todos os dias eu reservo um tempo para o meu descanso e pelo menos um dia da semana eu passo sem mexer com nada. Minha saúde teve uma hora que gritou e eu precisei atender. Foi a melhor coisa.

    bjs

    Curtido por 1 pessoa

    • Fico feliz que você tenha tido essa percepção e mudado, Fê. Pelo que falou, você está fazendo tudo certinho. E, realmente, tem hora que a gente só consegue desacelerar se a saúde pedir, né? Que bom que hoje você gerencia tudo de forma melhor.

      Curtir

  13. Oi, Ju! Como vai? Gosto muito de seus posts sobre o tempo, como o utilizamos… Me faz pensar, por exemplo, que a gente tende a iniciar o ano com um mega gás e, nessa etapa, geralmente muitos já estão desestimulados em suas iniciativas, em suas metas laaaaá de dezembro, janeiro… e acabam desistindo. Não é assim?! Pois eu até já estou sentindo isso em alguns dos meus colegas! A questão, muitas das vezes, sim, é a forma como levamos nosso tempo na rotina diária. Já falei aqui o quanto a procrastinação me atrai (incrível e louco eu mencionar desta forma!). Minha terapeuta diz que eu funciono muito melhor sob pressão. Preciso estar o tempo todo me policiando, para te falar a verdade. Mas tenho observado com a pandemia as minhas prioridades, me reservando, por exemplo, os finais de semana para papear, fazer as coisas que gosto (ou não fazer nada!). Aí, eu vejo pontos relacionados a três palavrinhas mágicas que vc muito bem utilizou nesse artigo: resultados, eficiência e equilíbrio. E equilíbrio eu tenho tentado levar para a vida, mesmo que falhe vez ou outra. Faz parte da vida! Bjs

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s