Sobre a importância do sono (+ dicas para dormir melhor)

Já há muito tempo a ciência tem estudado o sono, tanto para entender o seu funcionamento, como para descobrir como ele afeta o nosso dia a dia e a nossa vida. O sono tem um impacto direto em diversas funções biológicas importantes, desde consolidação do aprendizado e fortalecimento da memória até maior chance de problemas cardíacos, desenvolvimento de diabetes e queda da imunidade para quem não dorme o suficiente.

Uma coisa que precisamos saber é que não é possível compensar o sono perdido. Isso quer dizer que não é a mesma coisa você, por exemplo, dormir poucas horas durante a semana e tentar recuperar o sono perdido no fim de semana. É algo cientificamente comprovado por diversos estudos (como esse aqui). O ideal então, é dormir o suficiente todos os dias.

Também é importante dizer que não existe um padrão universal quanto ao número de horas de sono que precisamos ter todas as noites. Isso varia de pessoa para pessoa, há aquelas que precisam de mais horas e outras menos. Da mesma forma, o horário de sono, a melhor hora para dormir também varia e isso está diretamente ligado aos cronotipos. Já tem post sobre esse assunto por aqui, onde falo sobre como a cronobiologia (área da ciência que estuda os ritmos biológicos) e o conhecimento dos cronotipos e do seu ritmo biológico pode te ajudar a ser mais produtivo.

Dito isso, fica clara a importância de cuidar bem do sono. Mas como dormir melhor? A primeira coisa, a mais básica, é estabelecer uma rotina. Tente dormir e acordar mais ou menos nos mesmo horários todos os dias, além de dormir todas as noites o mesmo número de horas. Depois identifique qual horário você se sente mais confortável para dormir e acordar, bem como de quantas horas de sono você precisa. Aqui, só você mesmo pode encontrar a resposta, de preferência na prática. Observe quando você sente sono, tente descobrir em qual horário você consegue acordar naturalmente ou ao menos de forma mais tranquila e com menor dificuldade. Varie o número de horas dormidas e veja quantas você sente que são necessárias.

quarto escuro cama abajur

Foto de Jp Valery em Unsplash

Algo que pode te ajudar é entender qual o seu cronotipo. Esse é um conceito divulgado por Michael Breus, um especialista em ciência do sono. Em seu livro, O Poder do Quando, Breus explica sobre cada um dos 4 cronotipos existente e como funcionam os padrões de sono, energia e atenção de cada um. As informações a seguir são do referido livro.

Michael Breus explica que cada cronotipo recebe o nome de um mamífero que reflete o funcionamento do seu metabolismo. Assim temos os golfinhos, os leões, os ursos e os lobos. Pessoas com cronotipo golfinho tendem a passar por problemas de insônia e quando dormem seu sono é leve, facilmente perturbável, acordando diversas vezes ao longo da noite. Tem baixo impulso de sono (poucas horas são suficiente). Acordam se sentindo cansados e só entram no ritmo no fim da tarde. Já quem tem o cronotipo leão é uma pessoa matinal e com médio impulso de sono. Acorda alerta e começa a se sentir cansada no fim da tarde. Pega no sono facilmente

O cronotipo urso é o mais comum (cerca de 50% da população): representa quem dorme bem e tem alto impulso de sono, ou seja, pessoas que dormem profundamente, mas não tanto quanto gostariam. Acordam meio atordoados e só se levantam depois de apertar o botão soneca algumas vezes. Por último, temos o cronotipo lobo, que identifica quem tem impulso de sono médio e prefere dormir e acordar tarde. Podem até acordar cedo, mas com grande dificuldade e com garantia de mau humor. Em contrapartida, só se sentem cansados bem tarde da noite, já pela madrugada.

caneca verde sobre uma mesa com uma cama ao fundo

Foto de David Mao em Unsplash

A partir do conceito de cronotipo, Breus estabelece também a ideia de cronorritmo: cada perfil precisa de uma programação horária específica, que funciona melhor, com diferentes horários para se alimentar, dormir e se exercitar. Como o foco desse post é falar sobre sono, vejamos as indicações do livro com relação ao momento de dormir e de acordar:

  • Golfinhos: acordar por volta das 6h30 e não consumir cafeína até 2 horas depois de acordar. Quando não precisar acordar para trabalhar, pode dormir até 7h15. Dormir o mais próximo possível das 23h30.
  • Leão: entre 5h30 e 6h. Espere 10 minutos antes de fazer qualquer coisa que exija raciocínio. Quando não precisar acordar para trabalhar, pode dormir até 6h45. Dormir o mais próximo possível das 22h.
  • Urso: por volta das 7h. Não aperte o botão soneca, saia da cama imediatamente. Não consuma cafeína até 3 horas depois de acordar. Quando não precisar acordar para trabalhar, pode dormir até 8h. Dormir o mais próximo possível das 23h.
  • Lobo: por volta das 7h30. Use o botão soneca uma vez. Não consuma cafeína até 3 horas e meia depois de acordar. Quando não precisar acordar para trabalhar, pode dormir até 8h15. Dormir o mais próximo possível das 00h.

Eu, particularmente, acredito que esses horários não precisam ser seguidos a risca. Ainda não li o livro todo, apena alguns trechos, então não sei todos os argumentos do autor a respeito de seguir rigorosamente ou não esses horários. Mas sei que o ponto do livro é adaptar cada cronotipo aos horários exigidos pela sociedade, ao horário comercial. Eu, por exemplo não me vejo acordando antes das 9h da manhã. Mas isso porque eu não estou presa a trabalhar em horário comercial, então tenho essa liberdade e, por isso, não sei se gostaria de acordar mais cedo, já que sei que não funciono bem pela manhã. De qualquer forma, depois de ler o livro todo e entender todos os argumentos, posso trazer um post aqui no blog com um resumo e uma resenha, como costumo fazer com minhas leituras.

Para concluir, fiz um apanhado geral de dicas de como ter um sono melhor:

  • tenha uma rotina noturna. Fazer todos os dias as mesmas atividades antes de dormir ajuda seu corpo e seu cérebro a entenderem quando o momento de descanso está chegando e se prepararem para ele. Crie um ritual de desligamento antes de dormir.
  • não fique remoendo os problemas do dia que passou ou as dificuldades do dia que virá. Distraia sua mente, tenta relaxar, pratique meditação ou qualquer atividade que lhe ajude a deixar as preocupações de lado.
  • assim como é importante relaxar a mente, também ajuda relaxar o corpo. Tente uma massagem, um exercício de respiração .
  • reduza o uso de aparelhos eletrônicos um pouco antes da hora de dormir. Evite o uso do celular, tablet, computador e TV.
  • evite o consumo de alimentos estimulantes, como a cafeína. Em vez disso, escolha chás conhecidamente relaxantes, como camomila, lavanda ou erva-cidreira.
  • é sempre bom verificar se seu colchão e seu travesseiro são adequados e estão em boas condições. Se não estiverem, além do sono ruim, você pode acordar com uma indesejada dor muscular.

Quem me acompanha sabe que eu sempre defendo que cuidar dos momentos de descanso é uma parte indispensável de ser uma pessoa produtiva. Daí a importância de dormir bem e o suficiente, até porque inúmeros estudos científicos atestam a importância do sono até mesmo para nossa saúde. Então, me contem: tem dormido bem? Senão, o que podem/precisam fazer para dormir melhor? Claro que muitas vezes, nossos horários de trabalho e todas as coisas que temos a fazer podem conflitar com o nosso ideal de uma boa noite de sono. Mas priorize tanto quanto possível a qualidade do seu sono.

Até mais,

Juliana Sales

18 comentários sobre “Sobre a importância do sono (+ dicas para dormir melhor)

  1. Oi, Juliana!
    Sono é mesmo muito importante. Eu tava até pensando em escrever sobre isso, mas não chegaria aos pé do seu texto. Às vezes, gostaria que não precisássemos dormir tanto. Umas duas horinhas já seria suficiente. Assim sobraria mais tempo para fazer as coisas do dia. Infelizmente ou não, não é assim e precisamos dormir bem para rendermos durante o dia. Vendo os cronotipos acho que eu sou golfinho, mas me encaixo no lobo. Sei lá então.
    Beijos!

    To seguindo, me segue lá tbm.
    http://rickyoz.blogspot.com/

    Curtir

    • Oi Ricky, obrigada pelo elogio! Até um certo ponto eu concordo com você, se precisássemos de menos horas de sono, teríamos mais tempo disponível para fazer outras coisas. Mas, por outro lado, sou de time que gosta de dormir. Fico de mau humor e com raciocínio lento quando durmo pouco, então priorizo muito minhas horas de sono. Quanto ao cronotipo, o Dr. Breus diz que é comum ficarmos em dúvida entre dois cronotipos, mas sempre temos sim um predominante. Eu sou lobo, mas tenho algumas características de urso. Se interessar, dê uma olhada no livro, em alguns pontos ele fala sobre essa dúvida ao identificar nosso cronotipo. Obrigada, pela visita, vou lá conhecer seu blog!

      Curtir

  2. Nossa Juliana, irei até tirar o texto daqui, colocar o word, imprimir e estudá-lo. Também irei atrás desse livro, pois eu durmo muito mal, sono agitado, às vezes, insônia brava. E isso acaba comigo, me faz produzir super pouco. Na maioria das vezes, estou dormindo na base de remédios, o que está acabando com meu estômago. Esse post caiu do céu para mim.

    Curtido por 1 pessoa

    • Oi Gustavo, fico feliz demais em saber que o post tenha ido de encontro a uma necessidade sua e que ele será útil. Realmente, se tem uma coisa que acaba com meu dia é dormir pouco/mal. Ainda não li o livro todo, mas acredito que será sim uma ótima leitura para você.

      Curtir

  3. Olá, Juliana! Sempre trazendo conteúdos importantes pra gente, eu fiquei muito interssada no seu texto e no livro que indicou, porque estou dormindo muito tarde e acordando muito cedo, nessa quarentena. Ainda não estou fazendo uso de medicamentos mas, me sinto sempre cansada e quero voltar a dormir tranquilamente, obrigada pelas dicas.

    Curtido por 1 pessoa

    • Pois é Viviane, a maioria das pessoas não percebe o quanto o sono de qualidade é importante, ou se percebe acaba achando que existem outras coisas mais importantes e deixam de lado. Nessa quarentena meus horários de sono mudaram algumas vezes, o que não é muito legal, mas ainda tenho conseguido dormir o mesmo número de horas de sempre, então tá ok. Espero que as dicas sejam úteis!

      Curtir

  4. Olá, Juliana! Sempre trazendo conteúdos importantes pra gente, eu fiquei muito interssada no seu texto e no livro que indicou, porque estou dormindo muito tarde e acordando muito cedo, nessa quarentena. Ainda não estou fazendo uso de medicamentos mas, me sinto sempre cansada e quero voltar a dormir tranquilamente, obrigada pelas dicas.

    Curtido por 1 pessoa

  5. Me identifiquei de cara com o cronotipo golfinho, infelizmente tenho problemas de insônia há muitos anos, o sono é sempre leve e mesmo dormindo pouco sempre acordo cedo. Acho que a cafeína me prejudica muito, mas não consigo reduzir nem viver sem, até já tentei os cafés descafeinadoa mas o gosto não me agradou. Ficar pensando nos problemas do dia também me atrapalha, acaba que o momento de dormir se transforma em algo tenso e não relaxante. Vou procurar esse livro, acho que vai me ajudar!

    Curtido por 1 pessoa

    • O interessante Patrícia é que, apesar da pesquisa apontar que o cronotipo mais comum é o urso, eu conheço muita gente do tipo golfinho. E eu nem imagino como deve ser ter sono leve ou insônia, porque eu durmo muito bem, mas preciso de muitas horas de sono. Enfim, acho que o livro vai te ajudar sim, até porque nos trechos que eu li, o autor aponta que a maioria dos pacientes dele (como médico especialista em sono) é do tipo golfinho.

      Curtir

  6. Adoro dormir! Algumas vezes é dificil se desligar dos acontecimento e das coisas para fazer no dia seguinte… Tenho anotado tudo o que tem que ser feito no dia seguinte para ver se “esvazio” a mente pelo menos com esses afazeres…
    Aqui em casa mantemos uma rotina… Dormimos geralmente no mesmo horário e acordamos tb…Lógico que final de semana muda mas acredito que o nosso organismo tb já sabe disso…
    Abraços

    Curtido por 1 pessoa

    • Também adoro dormir, Ale! Se tem uma coisa que acaba com o meu dia é dormir pouco/mal. Curiosamente, apesar de ser ansiosa, não tenho essa dificuldade de me desligar dos problemas na hora de dormir. E essa rotina que vocês mantém por aí é fundamental para preservar a qualidade do sono.

      Curtir

  7. Oi, Ju! Interessante essa coisa de não haver um padrão essencial para número de horas. Na verdade, com a inserção da escrita na minha rotina esse ano, eu mudei muito meu ritmo de sono. Se antes eu já tendia a ser sonolenta, hoje ainda mais, pois escrevendo, ao menos na quarentena, caro a noite sem notar. Mas no dia seguinte sou, as vezes, uma zumbi. Rsrs. Outras, fico como se em estado constante de alerta. Acesa. Mas vejo como algo que tem feito cada vez mais parte da minha rotina. Ainda assim, independente do horário, prezo a importância da qualidade do sono. Bjs

    Curtido por 1 pessoa

    • Ana, eu tenho muito o hábito de trabalhar/estudar de noite e de madrugada porque é o horário que sou mais produtiva, mas durmo tarde e acordo tarde, então a quantidade de horas de sono se mantém, o que pra mim é super importante. E sim, precisamos sempre estar atentos a qualidade do sono.

      Curtir

  8. […] Tempo: traz uma verdade simples, que diz que não podemos criar tempo, apenas aumentar a qualidade do tempo que temos e isso envolve o modo como o usamos. E tempo de qualidade é aquele em que estamos focados, nos mantendo presentes no que quer que estejamos fazendo. Fala também de trabalhar com blocos de tempo (alocação de tempo) e de respeitar nosso biorritmo (tem a ver com picos de energia e cronotipos). […]

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s