Produtividade e propósito: eu preciso ter um?

Muitos autores que escrevem sobre produtividade assim como diversos especialistas da área costumam relacionar produtividade a propósito de vida. Falando de forma bem simplificada, quando você tem um propósito, ele guia suas decisões em relação à suas tarefas, planos e projetos, ele é o parâmetro que te ajuda a identificar suas prioridades. Também funciona como um fator motivador: é mais fácil lidar com tarefas difíceis ou chatas quando você tem a consciência de que elas contribuem para alcançar o seu propósito. Eu mesma já falei várias vezes sobre isso por aqui, sobre como ter clareza dos resultados que você quer obter te ajuda a ser mais produtivo no sentido de realizar suas tarefas de forma mais eficiente.

E eu concordo com isso, mas acho importante ressaltar dois pontos nessa questão. O primeiro é que ter um propósito de vida é legal, é útil, mas ninguém precisa se sentir frustrado por não ter um ou não saber exatamente qual é o seu. E o segundo é que, mesmo sem ter essa compreensão clara sobre seu propósito de vida, você ainda pode usar o conceito de propósito para definir suas prioridades, gerenciar suas tarefas e se manter motivado.

Mas vamos falar primeiro sobre a questão de propósito de vida. Você sabe o que exatamente é isso? Propósito pode ser entendido como um objetivo maior, algo que se deseja alcançar. Então, seu propósito de vida é aquilo que você almeja para a sua vida. Propósito está muito ligado também a ideia de felicidade, porque alcançar seu propósito tem a ver com obter realização pessoal. E quando paramos pra pensar, pode parecer assustador ter que definir esse tipo de coisa. Ainda mais quando você está perdido no caos, buscando  apenas dicas para organizar melhor suas tarefas e colocar um pouco de ordem no seu dia a dia.

E se por um lado eu acredito que ter um propósito de vida ajuda sim a ser mais produtivo porque ajuda em questões como prioridade e motivação, por outro lado eu sei que definir ou perceber qual o seu propósito é algo que exige reflexão e leva tempo e, portanto, pode ser um pouco pesado pedir isso para quem está buscando formas práticas de organizar sua rotina diária, seu tempo e suas atividades. E tem ainda a questão da frustração, que eu já mencionei lá em cima, que pode desanimar ainda mais quem está em busca de produtividade.

Então, a primeira coisa que eu quero deixar bem clara é que se você não tem essa clareza de qual é o seu propósito, está tudo bem. Como eu disse, se alguém está sem tempo até para respirar de tão cheio de coisas a fazer, é difícil pensar de forma tão a longo prazo e em algo tão importante. E a segunda coisa é dizer que, mesmo assim, você consegue melhorar sua produtividade e mais, usar o conceito de propósito de forma mais próxima do seu dia a dia.

mesa com notebook caneca caderno cactos e planta ao fundoFoto de Gabrielle Henderson em Unsplash

Isso porque propósito também pode ser entendido como vontade de realizar algo, como algo que se quer alcançar, um objetivo que se deseja atingir. E, no final das contas, acho que todos nós temos coisas que queremos atingir, e eu não falo de coisas grandiosas e a longo prazo, mas de coisas pequenas e do dia a dia.

Por isso eu já falei várias vezes que é importante você entender qual a justificativa por trás de qualquer tarefa que você faz. E de forma prática mesmo, entender porque aquela tarefa precisa ser feita, qual o objetivo, qual o resultado desejado. E isso é importante porque é uma referência para definir prioridades (qual o objetivo, qual resultado é mais importante) e ter prioridades é essencial para organizar suas tarefas e administrar o uso do seu tempo.

É assim que o conceito de propósito pode ser usado para tornar seu dia mais produtivo. Liste todas as suas tarefas. Identifique porque elas precisam ser feitas: qual o motivo? Que resultados elas trazem quando concluídas? Depois organize suas tarefas em termos de resultados. O que é mais relevante para você? O que não pode deixar de ser feito?

Da mesma forma isso pode funcionar quando você se vê procrastinando diante de alguma tarefa especialmente difícil, chata e complicada. Pare por alguns minutos e reflita sobre o propósito daquela tarefa, isto é, porque ela precisa ser feita. Identificar e focar no resultado funciona como um fator de motivação para realizar a tal tarefa. E se não funcionar, se o resultado não parecer tão relevante ou desejável é sinal de que a tarefa não precisa ser feita, então nem deveria ocupar lugar na sua lista de tarefas.

Acho que a reflexão deve ser: por que você faz o que você faz? O que te anima a fazer suas coisas? O foco é no resultado. E o resultado que você quer alcançar não precisa ser nenhuma grande meta ou objetivo. Pode ser simplesmente conseguir entregar um relatório antes do prazo e sem correria. Conseguir ler e responder todos os seus e-mails sem prejudicar o andamento do seu trabalho. Conseguir encerrar o expediente meia hora mais cedo para poder buscar seus filhos na escola. É esse o ponto. Esse resultado é o propósito de forma mais simplificada, aplicado no dia a dia.

E quando você quiser dar um passo além, entra a questão do propósito de vida, que envolve metas de longo prazo e estabelecer aonde você quer chegar nas diversas áreas da sua vida. Essa definição te ajudará a traçar metas e criar projetos de vida e que te trarão realização pessoal, além de melhorar a produtividade, proporcionando satisfação e qualidade de vida.

Até mais,

Juliana Sales

7 comentários sobre “Produtividade e propósito: eu preciso ter um?

  1. Definir um propósito leva tempo mesmo, e até agora não consegui descobrir o meu! Ainda estou numa fase da minha vida em que mudo muito de ideia sobre o quero, não tenho tantos sonhos definidos, etc. Mas ao mesmo tempo, creio que conseguirei ser mais focada quando consegui me centrar em um propósito! Preciso trabalhar mais no meu desenvolvimento pessoal e refletir sobre os meus objetivos.

    Curtir

  2. Realmente é complicado definir a realização de tarefas a partir de um propósito, até porque os propósitos podem mudar durante a vida, então fica difícil estabelecer metas a serem alcançadas a partir dessa ideia. Entender os porquês, como você bem exemplificou, é mesmo muito mais útil e leva a resultados mais positivos e práticos.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Definir um proposito de vida tem um peso que não precisava existir, né? Porque além de ser uma coisa que a gente não controla, na teoria a gente tem direito de mudar nossos propósitos ao longo do caminho… Talvez quando as pessoas entenderem isso ele fique mais leve e a produtividade para trilhar esses caminhos mais fácil de ser alcançada!

    Curtido por 1 pessoa

  4. Fiquei bem pensativa com o titulo. Tenho para mim que é fundamental estabelecer um propósito pois ele irá dar rumo para “tudo”, acho que sem propósito não há um começo…E em relação a produtividade, vejo que facilita muito as listas e “quebrando em partículas menores” seus objetivos…Gosto de traçar metas semanais e dentro delas metas diárias, e isso tem me ajudado muito.

    Curtido por 1 pessoa

  5. Eu acho muito mais fácil fazer o que eu preciso e me organizar quando eu tenho um propósito. Coisas pequenas mesmo tipo precisar entregar um trabalho porque se não posso reprovar. Essas pequenas coisas que podem gerar alguma consequência “ruim” se não forem feitas, são mais fáceis pra mim de organizar e fazer.

    Sobre propósito de vida, acho algo muito doido, porque a gente muda e evolui a cada dia, e o que eu queria há 3 anos atrás não é mais o que eu quero hoje. Porém, existem algumas metas grandes que a gente deseja alcançar e temos que ralar muito pra alcançar, e ter isso em mente facilita o processo de se organizar e correr atrás.

    Adorei o post!

    Curtido por 1 pessoa

  6. Cara mia,

    Eu me lembro que nas semana de decidir qual curso iria cursas na faculdade, ouvi um monte de gente nesse sentido. Todo mundo tinha uma opinião a dar a respeito do meu projeto universitário. E embora me irritasse, nada dizia. Apenas ouvia. Em alguns caos (a maioria), eu apenas ignorava.
    Mas tive que passar por uma psicóloga e uma orientadora vocacional. A segunda definiu que eu tinha vocação para física, matemática e eu e esforcei para não dar risada. Até hoje eu não sei de onde saiu isso.
    A psicóloga apenas me fez sete questões. Nada que eu diga que tenha me ajudada, até porque eu já tinha definido que cursaria psicologia, me especializaria em psicanalise.
    Eu me lembro que assim que atingi os meus objetivos nesse sentido, me aborreci. Comecei a traçar novas estratégias e foi aí que a literatura entrou na história ou será que devo dizer: voltou para a história? rs

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s