Fadiga de decisão: o que é e como interfere na sua produtividade

Eu sempre acreditei que produtividade tem mais a ver com o estado mental do que qualquer outra coisa. Claro que técnicas e metodologias são muito importantes e ajudam muito a melhorar a forma como lidamos com nossas tarefas e obrigações, nossas metas e objetivos. Mas de nada adianta usar qualquer método se a mente não ajuda. É impossível ser produtivo quando estamos mentalmente cansados.

E são vários os fatores que nos causam cansaço mental. Um deles, que acontece com muita frequência e nós não percebemos ou sequer sabemos que existe, é a chamada fadiga de decisão. O surgimento do termo “decision fatigue” (ou fadiga de decisão) é atribuído ao psicólogo social Roy Baumeister, pesquisador da Florida State University e coautor do livro Força de vontade – a redescoberta do poder humano.

Existem vários estudos sobre esse fenômeno e um dos mais conhecidos envolveu a análise das decisões tomadas por juízes sobre conceder ou não liberdade condicional à prisioneiros. Surpreendentemente, os pesquisadores observaram que o que mais interfere na decisão do juiz não são as condições do crime, o comportamento do preso ou algo similar. Foi identificado um padrão mostrando que os juízes tomavam mais decisões favoráveis (à concessão da condicional) pela manhã ou logo após o almoço. Ao final do dia as chances da decisão ser favorável eram praticamente nulas.

Essa situação pode ser explicada pela tal da fadiga de decisão. Mas o que exatamente é isso? Em termos simples, fadiga de decisão se refere à queda da qualidade das nossas decisões após um sequência de várias decisões tomadas. É a explicação para várias situações comuns do dia a dia, como compras por impulso ou uma irritação sem motivo com um colega de trabalho. Quanto mais decisões você tomar pior ficará sua capacidade de analisar sua opções e decidir de forma correta.

Continuar lendo