3 princípios do GTD que melhoram sua produtividade

O método GTD talvez seja uma das mais conhecidas metodologias de organização e produtividade. Eu sempre o menciono aqui no blog porque muitos dos conceitos e orientações que eu uso no meu dia a dia vem dele. Não posso dizer que sigo o método a risca, mas a forma como eu gerencio minhas atividades, minha vida em geral, é baseada em ensinamentos retirados do método.

Apesar de ser uma metodologia e, portanto, contar com várias técnicas e recomendações, eu acredito que uma das maiores contribuições do GTD é propor uma mudança de mentalidade. Mesmo não implementando totalmente o método, como eu, o modo como o David Allen ensina a lidar com nossas tarefas, projetos e ideias reflete em um jeito mais prático e eficiente de gerenciar todas aquelas coisas que precisamos gerenciar diariamente.

Isso acontece porque o método apresenta certas atividades básicas que, se pararmos para prestar atenção, fazem parte de muitos métodos de produtividade e organização. Um exemplo é o uso de uma Caixa de Entrada, que nada mais é do que não depender da sua mente para se lembrar das coisas, utilizando para isso um meio externo (anotações).  Outro exemplo é fazer sempre uma revisão de tudo que você anotou, porque obviamente não adianta anotar e nunca mais olhar para o que foi anotado.

Continuar lendo

A Única Coisa, Gary Keller e Jay Papasan

Chegamos ao terceiro post do projeto de leitura do blog e o livro desse mês é A Única Coisa, de Gary Keller e Jay Papasan (clique aqui para ver o post sobre a leitura de julho e aqui para ver o livro lido em agosto). O tema principal desse livro é a importância do foco para alcançarmos os resultados que desejamos. E foco aqui não se refere somente a direcionar nossa atenção para o que estamos fazendo. A linha defendida pelo livro é que, a todo momento, precisamos identificar a coisa mais importante a ser feita para ter sucesso em relação aos nossos objetivos e nos dedicar exclusivamente a essa única coisa.

Por um lado, o que o autor propõem pode ser considerado por alguns como extremo e até mesmo impossível de aplicar na realidade. Por outro lado isso não quer dizer que o conceito passado não possa ser adaptado ao cotidiano de cada um, trazendo benefícios no que se refere a produtividade, mesmo que a metodologia proposta não seja aplicada integralmente.

De forma geral, a premissa defendida pelo livro é que para alcançar o sucesso devemos tornar as coisas tão simples quanto possível. E a forma de fazer isso é fazer uma única coisa por vez. E não só no sentido de evitar a multitarefa. A ideia é que você identifique a sua única coisa e direcione toda a sua atenção, tempo e energia para ela. Todo o resto pode esperar.

Continuar lendo

Vamos falar sobre foco?

Não é preciso consultar um dicionário para saber o que é foco. Podemos definir foco como a capacidade de nos manter concentrados em determinada ação ou tarefa. Eu já expliquei por aqui a diferença entre foco e concentração porque, sim, as definições são diferentes. Mas em termos práticos podemos ter a liberdade de considerar as duas palavras como sendo sinônimos.

Todos sabem também que conseguir se manter focado é essencial para ser uma pessoa produtiva. Um dos fundamentos da produtividade é a atenção e foco nada mais é do que direcionar e manter nossa atenção sobre determinada coisa/assunto. Existem algumas técnicas de produtividade, como o Deep Work que falam principalmente sobre a importância de gerenciar nossa atenção e focar o máximo possível em nossas tarefas.

Claro que isso não é tão simples. Vivemos em um mundo de distrações, com notificações de mensagens chegando a todo instante, pessoas nos chamando, telefones tocando, tarefas e obrigações novas surgindo. E justamente por isso, por estarmos rodeados por esse excesso de informação, se torna ainda mais importante sermos capazes de direcionar nossa atenção, ou seja, mantermos nosso foco.

A boa notícia é que diversos estudos apontam que podemos treinar nossa capacidade de nos mantermos focados. Cal Newport, defensor do conceito de Deep Work e autor de um livro sobre o assunto, afirma que concentração e foco são habilidades que podem ser treinadas e desenvolvidas.

Continuar lendo

Mindfulness: aumente sua concentração e melhore sua produtividade

Acredito que quem acompanha o blog e lê os meus post com frequência, já percebeu um fato bem importante quando se fala de produtividade: estar ocupado é diferente de ser produtivo. Eu falei um pouco sobre isso nesse post sobre os mitos da produtividade. Produtividade tem a ver com alcançar resultados, atingir metas. Então, se você passa o tempo todo atarefado mas não obtém resultados, não conclui as coisas, não realiza seus objetivos, então você não está sendo nada produtivo.

No mesmo post que eu linkei ali em cima, eu falo também que ser multitarefa, ao contrário do que se pensa, é prejudicial a produtividade. Isso porque você nunca está de fato focado em coisa nenhuma que você está fazendo, pois ao fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo, seu cérebro alterna seguidamente entre elas, prejudicando seu foco e sua capacidade de concentração.

E todos sabemos que para conseguir realizar nossas tarefas de forma adequada precisamos nos manter concentrados. Eu já dei aqui no blogs dicas de como melhorar sua capacidade de concentração. A boa noticia é que é uma questão de treino: você pode trabalhar para aprender a ficar mais concentrado.

O Deep Work, por exemplo, é um conceito sobre a importância de fazer um trabalho focado, isto é, dedicar integralmente sua atenção as tarefas que você precisa fazer, especialmente aquelas que te fazem ser produtivo de verdade, ou seja, contribuem para chegar aos seu objetivos. Claro que é impossível se livrar totalmente das tarefas que apenas ocupam nosso tempo, mas a ideia é destinar mais tempo as tarefas importantes e dedicar atenção completa a elas no momento da execução.

Continuar lendo

Os 3 fundamentos da produtividade

Escrevendo um blog sobre produtividade e organização há pouco mais de um ano, frequentemente eu me deparo com comentários do tipo “eu não consigo me organizar”, “eu não consigo ser produtivo”.  Eu já falei sobre isso aqui, nesse post onde eu proponho uma reflexão para quem não consegue se organizar e também nos posts que eu já fiz sobre mitos da organização e mitos da produtividade, onde eu digo que acreditar nos tais mitos pode ser o que te impede de ser organizado/produtivo.

Mas tem um outro tipo de comentário que eu já vi algumas vezes e que sempre me deixa pensativa. Recentemente eu li mais um comentário assim e me dei conta que talvez fosse um bom assunto a se abordar aqui no blog. Eu me refiro aquelas pessoas que querem ser produtivas, leem sobre o assunto, estudam vários métodos, mas não obtém resultados. A impressão é que quanto mais se estuda, quanto mais técnicas se conhece, mais confusa a situação fica.

E isso me deixa pensativa justamente porque é oposto do meu objetivo com esse blog. Eu tento trazer aqui o maior número possível de métodos e técnicas, para que quem me lê tenha um amplo leque de opções, para que cada um consiga encontrar um método que lhe atenda, que se adapte a sua rotina e a sua vida.

A questão é que, talvez, para quem não está conseguindo ter resultados, conhecer e testar um monte de métodos pode realmente desmotivar ainda mais a pessoa, uma vez que ela parece estar tentando tudo e nada dá certo.

Continuar lendo